Quem sou eu

Minha foto
Publicarei noticias esportivas de guarapuava e região , e algumas fotos da história do futebol em guarapuava .

quinta-feira, 25 de março de 2010

A OBSTINADA PATINHA

Seleção Brasileira Sub-20 campeão Sul americano em 2010


Patinha comemorando o gol de Alana


Mundial Sub-17 na Nova Zelândia jogo Brasil x Coreia


PATINHA

HÁ poucos anos atrás uma loirinha franzina, cabelos lisos corria feliz atrás de uma bola, mostrava suas virtudes atuando nos campinhos perto de sua casa e nos times de colégio, sempre chamando atenção por sua vontade e técnica. Esta pequena historinha ilustra a obstinação de Rafaela Dalmaz a “Patinha” de se tornar uma jogadora de futebol. Desde pequena disputando campeonatos e conquistando títulos em nossa cidade, mais não era o suficiente ela sonhava mais alto. Mesmo jovem e inexperiente fez algumas avaliações e peneiradas, nunca desistia até que seu esforço foi recompensado com a primeira convocação para a seleção brasileira Sub-17 em 2007, foi seu primeiro premio pela sua perseverança e efetivou-se na seleção pra disputa do mundial Sub -17 na Nova Zelândia. Voltou feliz mais assustada porque descobriu que para ser uma atleta de alto nível você é privado de muitas coisas. Pouco a pouco foi se adaptando a nova rotina e percebendo o mundo de uma nova forma, sabia que teria que se esforçar cada vez mais, aperfeiçoando-se, pois o futebol feminino se tornou muito competitivo e são poucas as vagas para as melhores. Dai em diante com o apoio da família se tornou uma verdadeira cigana jogando em campeonatos no Paraná e São Paulo, mas tudo isso significava, ganhar mais experiência, pois recebia conhecimentos práticos e não apenas teóricos e sem medo de ser feliz aceitou esse desafio e cresceu como atleta. Mais uma vez sua batalha foi reconhecida com mais um premio agora a convocação para a seleção brasileira Sub-20 pra disputa do sul americano. Sentiu pela primeira vez o gosto magnífico e orgulho de ser campeã vestindo a camisa amarelinha da seleção. O Brasil foi tetra campeão sul americano na Colômbia em 2010 garantindo assim a vaga pra disputa do mundial da categoria em julho deste ano na Alemanha e Patinha reconhece que precisa trabalhar muito para se manter dentro do grupo das convocadas e afirma? __ Nada é definitivo em futebol, ninguém é insubstituível as coisas estão sempre em evolução. Caso eu seja convocada novamente, lutarei nos treinos para ganhar meu lugar. Afinal, jamais ganhei nada de graça. O que precisar conseguir será do estilo de sempre: luta; disposição, confiança e dedicação. Que venham os desafios, pois o Senhor é meu pastor e nada me faltará. Confiança em si Patinha sabe que precisa manter seu trabalho em alto nível, para ser convocada, mesmo recebendo elogios sempre está atentada a aprender, mesmo privada do rol familiar, pois jogará na cidade de Araraquara no estado de São Paulo, mas Rafaela mantém contatos quase diários com seus pais e irmãos e não esquece dos amigos que sempre a incentivaram e a todos aqueles que torcem pelo seu sucesso.

Campeã Sub-15 Coritiba Cancun

Campeã Estadual Vila Fanny de Curitiba

sábado, 20 de março de 2010

GUARAPUAVA CAMPEÃO DA SEGUNDA DIVISÃO EM 1978

GUARAPUAVA CAMPEÃO DA DIVISÃO ESPECIAL EM 78
Em Pé- Adãozinho, Nardo, Beto Lucio, Sapatão, Nilson e Valmir.
Agachados- Baianinho, Evans, Paulinho Bolivar, Jadir e Afonso.

Jogadores importante em 78, Nardo, Coquinho e Heleno

Osmario Terremoto artilheiro do GEC em 78

Frequentemente rompemos com as pessoas. As frustrações que elas nos causam ferem mortalmente nosso encanto por elas. Fiquei matutando em não escrever mais a história do Guarapuava E.C., mas não quis ser injusto comigo mesmo e com aqueles de uma forma ou outra sentiram como eu a perda do maior patrimônio esportivo da história de Guarapuava, o Estádio Lobo Solitário, como poderia contar aos meus netos e bisnetos que um dia joguei num clube no centro de nossa cidade , mostrar a eles as fotos e provar que são verdadeiras que foram tiradas ali mesmo na rua frei caneca, mais eles responderam __ Vô não vejo campo nenhum ali? Por isso existem a imortalidades das fotos pra ter o registro dos fatos. Então vou relembrar talvez a maior batalha campal que o nosso ainda glorioso alvi negro enfrentou em 1978, O elenco Guarapuavano viajou até a cidade de Toledo precisando na ultima partida da segunda fase do campeonato da segunda divisão daquele ano somente de um empate para subir pra divisão primeira do futebol paranaense. Sabíamos das dificuldades que lá encontraríamos, pois o adversário era forte e jogava precisando de uma vitória em casa para confirmar seu acesso e não depender de outros resultados. O jogo começou e futebol propriamente dito pouco se viu em Toledo, na verdade oque houve foi uma verdadeira batalha em campo, com os jogadores do alvinegro de Guarapuava sendo caçados covardemente durante a maior parte do triste espetáculo. Pois os jogadores, torcedores e diretores do Toledo não se conformavam em ver que seu time que liderou o campeonato do começo ao fim se via na iminência de perder a vaga no ultimo jogo. Aconteceram então cenas verdadeiramente criminosas, com agressões em nossos atletas como fizeram com Nardo que foi brutalmente agredido por um dirigente do time local, pior aconteceu com o atacante Paulinho Bolívar que após sofrer uma falta brusca ainda foi socado e pisado pelo zagueiro adversário a ponto de contudir-se e ser substituído. Nossos diretores foram ameaçados pelos dirigentes adversários que de arma em punho gritavam frases absurdas como_ Vocês não saem vivos daqui se não vencermos esta partida...! Tantos absurdos e aos 45 do segundo tempo saiu o gol do Toledo, prontamente invalidado pelo juiz Plínio Duenas, que já apitara antes de a bola ser impulsionada com as mãos pelo jogador Alfredinho do adversário para dentro do gol__ Foi uma verdadeira loucura, alguns torcedores invadiram o campo, outros agarravam ao alambrado, balançando-o perigosamente, obrigando os policias locais apontarem suas armas para acalmar os ânimos. È aos sentirem que o juiz não validaria o gol ilegítimo, os toledanos tentaram intimidá-lo oque de certa forma modo deu certo porque Plínio Duenas usou de muita habilidade para contornar a situação, apanhou a bola levou-a ao meio de campo e abriu os braços encerrando a partida. Os repórteres e demais que queriam saber sobre o gol este respondia evasivamente que não “invalidara” o gol. Depois já em Curitiba explicou o porquê:...É que não existia gol a ser invalidado...? Mas já em Cascavel seguro que estava informará ao Presidente da FPF que o resultado da partida foi 0 x 0 e que fora obrigado tomar tal atitude para preservar a sua vida e dos guarapuavanos que lá se encontravam.Resultado confirmado naquele jogo tumultuado a festa se concretizou somente na quinta feira pois tinha ainda um recurso do GEC contra o Agroceres que tinha jogado com um jogador irregular. O TJD foi unânime de 7 x 0 a favor do GEC. Agora verdadeiramente confirmado o titulo do campeonato da segunda divisão de profissional de 1978 justamente no seu debute no profissionalismo, ocorreu àquela festa com desfile de carro de bombeiros com foguetório e a população aclamando e saudando com aplausos seus heróis que retornaram com a vitória que era a conquista do tal desejado titulo.

Técnico-Joaquim Felizardo

Atletas-
Nardo, Beto Lucio, Sapatão, Nilson, Valmir, Baianinho, Afonso, Evans, Paulinho Bolívar (inmemorian),Adãozinho, Andreotti, Nego Edo, Dirceu Pato, Dagoberto, Heleno, Pedro Mendes, Carlinhos, Enéas, Marinho, Osmario, Coquinho, Léo e Jandir

Resumo- 20 partidas
- 11 vitórias
- 04 derrotas
- 05 empates

sexta-feira, 19 de março de 2010

O SAUDOSO "TIO CAPA "

ROMEU BASTOS (TIO CAPA)

Gremio Oeste Campeão em 1981


Tio Capa atuando no GEG

“O amanhã é um dia incerto a todos os mortais”

Um dia morreremos e, com o passar do tempo cairemos na raia do esquecimento. No Maximo alguma pessoa mais intima se lembrarão de nós e sentirão o calor da saudade. Por isso novamente escrevo para que os jovens e as pessoas que residem a pouco tempo em nossa cidade saibam um pouco da história de muitos ilustres munícipes que já não estão no nosso convívio diário mais que deixaram uma riqueza, sua marcante passagem na vida cultural, social e esportiva da nossa cidade. Poucos lembraram de imediato do nome Manoel Romeu Loures Bastos, só os mais antigos e pessoas próxima que vivenciaram a labuta do nosso querido e saudoso “Tio Capa” filho de Trajano de Paula Bastos e Laura Loures Bastos, nasceu em 11/12/1915, em Guarapuava viveu grande parte de sua vida em nossa cidade só ausentou-se para formar-se em Curitiba pela Academia Paranaense de Comercio, prestou seu primeiro serviço já em nosso município na firma de seu pai T. Bastos e filhos no ano de 1934. Inquieto e com tino comercial já com visão de futuro inaugurou em 1947 o Cine Guará, remodelando o ex - Cine Pimpão deixando com formas mais modernas que se transformou rápido na sensação da época. Já bem sucedido empresarialmente ousou novamente agora inaugurando na esquina da Saldanha Marinho e Padre Chagas o famoso Deposito de Bebidas Capanema como sócio gerente. Fora do comercio e já consolidado o apelido de Tio Capa, Romeu Bastos se destacava no futebol amador da nossa cidade jogou como volante e zagueiro, no inativo Guarapuava esporte clube após temporadas consecutivas no alvinegro formou com um grupo de ex-atletas da época uma dissidência ao lobo e deslocaram –se seus esforços para formar o glorioso Grêmio Esportivo do Oeste. Foi presidente cinco vezes deste clube conseguiu catorze títulos amador, levou esta agremiação ao profissionalismo, marcou época na década de 70, a marca fantástica de campeão do interior com o terceiro lugar no paranaense de 1970 a melhor campanha de uma equipe profissional da nossa cidade. Muitas histórias escutei do Tio Capa, tem aquela que ele foi ao Vasco da Gama emprestar jogadores para reforçar o elenco Gremista e pagou com uma nota de hum dólar o empréstimo de todos os atletas, falava e dava risada do episodio. Teve participação na formação também no setor social da nossa comunidade como Rotary Clube de Guarapuava, Casa da Amizade, Asilo dos velhinhos hoje SOS e Lar Escola Retiro Feliz. Este homem simples que acreditava em tudo o que é certo, em Deus em toda a pessoa que faz o bem e na saúde, porque dizia ter saúde e ser feliz, infelizmente nos deixou em 11/11/1982, ficaram as suas histórias, foi homenageado com o seu nome o antigo Estádio Bororó, agora chamado Romeu Bastos. Antes de morrer ainda viu o seu Grêmio Oeste ser campeão amador de 81, ficou a saudade dos encontros e bate papos na XV de novembro onde o tema era sua paixão, o futebol. Casado com Dona Laura Pacheco Bastos (Inmemorian), deixou aos seus descendentes a saga de vencedores, seus filhos tiveram e continuam tendo um papel importante na política da nossa cidade Candido Pacheco Bastos (ex-prefeito), Norton Pacheco Bastos (ex-vereador),Laura Maria Bastos Pupo ligada até hoje a Educação e seu neto Rodrigo Bastos segue como o, maior esportista de todos os tempos de Guarapuava.

sábado, 6 de março de 2010

NOSSO GAVIÃO BUENO...UMA MARCA


Quem não lembra ou conheceu em nossa comunidade esportiva a figura do "Gavião Bueno", duble de cinegrafista,narrador e comentarista de esporte( 3 em 1)marcou época em Guarapuava pois foi o precursor das filmagens de todo o tipo de atividade esportiva,andava com sua câmera procurando eventos, rodeava os Ginásios de esporte, campos suíço ,estádios de futebol sempre para comercializar as imagens registradas.Acredito que deixou em nossos lares mais de dois mil filmagens de todo tipo e qualidades, pois não valia a importância do evento logo estava Ederaldo este era seu nome com sua câmera nos ombros para mais um registro.Infelizmente veio a noticia do estado de Santa Catarina pelo seu amigo J.Batista o qual fez parceria no canal 14 da TV araucária o programa Show do Esporte que Gavião deixou a vida terrena e faleceu de um mal subito. Ederaldo saiu de Guarapuava para residir em outro Estado depois de problemas particulares, mais continuava sua atividade profissional, nois que o conhecemos sabiamos da suas dificuldades de se manter dentro da sua especialidade, foi uma perda prematura mais só temos que lamentar só reviver o que de positivo ele nos deixou nas suas imagens...pois a vida continua.

quinta-feira, 4 de março de 2010

LUIS CARLOS MERNICK, O INTERMINÁVEL....



Frequentemente perdemos contato com nossa história. Os amigos e as belas experiências do passado se tornam paginas que dificilmente folheamos, por esse fator negativo procuro escrever e enaltecer pessoas e atletas que no meu ponto de vista merecem destaque pela suas atuações em prol do esporte e que se destacaram e marcaram época em nossa comunidade. Para qualquer pessoa exceto os esportistas passar dos 40 anos pode ser momento gratificante, pois é exatamente ai que se inicia o processo de amadurecimento e se a juventude ficou pra trás, surge enfim a certeza de que se passa entender melhor os mistérios da vida e o segredo da alma humana, mas para o futebolística está é a senha que a carreira está chegando ao fim. Não para essa figura “interminável”, Luis Carlos Mernick, na minha ótica o maior e mais completo jogador amador da história mais recentes do futebol de Guarapuava, penso que tenho crédito para fazer esta afirmativa, pois desde década de 70, convivi e atuei com vários e extraordinários jogadores, mas este atleta passou da média com suas varias conquistas que chegou a mais de uma dúzia de títulos do campeonato amador em nossa cidade, defendendo equipes com A.A. Batel, Belém, Madeirit e Guarapuava. Nenhum outro a minha memória conseguiu identificar com os mesmos resultados, conheço Mernick desde adolescente quando vestiu a camisa da seleção da cidade nos jogos do Vale do Ivai em 1983 e já começava exibir as virtudes que iria desenvolver na vida pratica, mostrando caráter, determinação e humildade já deslumbrando o sucesso como atleta do futebol amador. Inibido não quis se profissionalizar na A.A. Batel preferiu ficar ao lado da família e continuar trabalhando, porque sabia o que queria do futuro e se preparou para perseguir sem tréguas seus objetivos. Este baixinho com seus dribles fácil e suas entradas em diagonal que deixavam seus adversários em pânico, sempre teve a sintonia de ajustar velocidade e raciocínio, com essas qualidades se tornava enorme frente seus marcadores e dificilmente saia de campo sem marcar gols. Com as varias conquistas adquiridas na sua carreira já o considerava o maior de todos, mas no finalzinho de sua trajetória este atleta fechou com chave de ouro os seus feitos, conseguindo trazer pela primeira e única vez para nossa cidade o mais importante titulo amador do estado Campeão da Taça Paraná de 2004, estatueta que vários craques do passado não conseguiram e foi dada a ele esta oportunidade e ergueu esta inédita taça, alem de ser escolhido atleta destaque na competição pelas suas excelentes atuações com seus 42 anos de idade na época. Não vou enumerar nem relatar nomes de vários extraordinários jogadores que passou nas disputas do campeonato amador da nossa cidade cada um com suas características uns muitos habilidosos outros grandes artilheiros, mas nem um chegou próximo em qualidade e quantidade de títulos que esse magnífico jogador conseguiu acumular na sua longa carreira, ainda continua levantando taça e troféus agora na categoria de veterano e máster. Ficou com a bola no pé uma longa data este que considero o mais perfeito de todos os atletas amadores do nosso futebol regional, este ser humano teve uma historia espetacular. Embora não demonstra, está feliz, realizado e grato a Deus por tudo o que alcançou.

segunda-feira, 1 de março de 2010

O INCANSÁVEL JOSÉ VALTER LIBERATO.....





JOSE VALTER LIBERATO

O brasileiro é lembrado pela sua persistência e porque não desiste nunca mesmo nas grandes dificuldades da vida, pois aqui vou contar a história de um cara chato e xarope no bom sentido que não se entrega e luta com todas as forças para atingir as suas metas, falaremos de Jose Valter Liberato supervisor e idealizador do Clube Atlético Deportivo equipe de futsal verdadeiro xodó dos torcedores que lotam o ginásio de esporte nos seus jogos sempre com a participação de publico recorde. Mas tudo não acontece por acaso, por isso congratulo e aplaudo essa pessoa valiosa, pois acompanhei o sacrifício que Liberato encontrou nessa sua empreitada como dirigente do esporte da bola pesada, chegou a Guarapuava desconhecendo os melhores atletas, mas devagarzinho formou sua primeira equipe e fundou essa hoje grandiosa agremiação. Eu conheci José Valter quando recebi convite para fazer parte da segunda fase deste time, com jogadores importantes como Evandro Mico, Marcio Budeneck, Bugrinho, Joel, Chapecó, Tininha e muitos outros na sua maioria jogadores de campo para disputar a serie prata do paranaense. O que me surpreendeu na época foi a estrutura e a organização desta equipe, eu pensei como uma pessoa que havia chegado a pouco tempo em nossa cidade conseguia tal feito, mesmo porque a imprensa local se preocupava e insistia a valorizar outra equipe da cidade que era o Guarapuava E.C., que hoje não participa de competição alguma.Continuava pensando como ele conseguia mais pouco a pouco fui conhecendo-o melhor e logo vi que conseguia pela sua coragem, dava a cara pra bater não tinha medo sofria criticas pela parte da mídia que o chamavam de pára-quedistas, sofria falácias maldosas foi perseguido politicamente mas nunca desanimava todo ano no calendário do futsal paranaense lá estava o Deportivo com uma ou mais categoria disputando as competições do estado e lá ia o Marajó marrom acompanhado pela Kombi branca do Titio Alaor lotados de atletas em disputa em toda as parte deste grande estado, pois Alaor foi uns dos grande parceiros de Liberato para o Deportivo se manter em pé no inicio da associação. O trabalho árduo e continuo trás retorno e a crença de Liberato de alcançar seus objetivos a insistência e acreditar no seu trabalho, aprender com seus erros e dos outros, sendo humilde nos momentos bons e ruins ser duro e exigente com ele próprio. O seu sacrifício era sua fonte de motivação tudo isso valeu a pena, hoje Liberato é consagrado como grande dirigente esportivo e seu emergente clube se notabilizam como a maior bilheteria do estado e trás grande alegria aos seus torcedores, valeu o esforço grande amigo e obrigado por aceitar Guarapuava como sua cidade de coração e nos ensinar que a superação é ter a humildade de aprender com o passado, não se conformar com o presente e desafiar o futuro.