Quem sou eu

Minha foto
Publicarei noticias esportivas de guarapuava e região , e algumas fotos da história do futebol em guarapuava .

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

GREMIO OESTE VICE CAMPEAO DA TAÇA DOS CAMPEÕES EM 1960

1º partida da final
Gremio Oeste 0 x 2  Real( Campo Largo)
gols- Juarez e Osmar (Real)
Juiz- Eloi Turra

GRÊMIO OESTE- Simpatico, Fifi, Ico, Milton, Teixeira, Heron, Motiela, Valter, Dadico, Charuto, Nevinho.

REAL- Atos, Neno, Iran, Leocadio, Euclides, Vitorelli, Castilho, Bidio, Juarez, Osmar e Valdomiro.

2º partida (decisão)
Real 5 x 0 Grêmio Oeste
gols-Bidio(2), Euclides e Osmar

REAL- Atos, Neno, Iran, Leocadio, Euclides, Vitorelli, Castilho, Bidio, Juarez, Osmar e Valdomiro.
GRÊMIO OESTE-Simpatico, Valdir, Ico, Heron, Teixeira, Kloster, Dadico, Motiela, Valter, Charuto e Nevinho.



Revirando o passado...
Se você pretende contar alguma história terá que apoiar-se em documentos, afirmação de Langlois e Seignobos. Revirando arquivos do passado me confrontei com um recorte da história do nosso glorioso Grêmio Esportivo do Oeste. Em uma revista de circulação nacional, Esporte ilustrado nº254 de 18-02-1943, um belo artigo dando as boas vindas à nova agremiação que surge nas terras dos pinheirais, este foi o titulo assinado pelo Sr Altino Borba (correspondente especial). O tricolor deu a primeira ponta pé na pelota foi um ano antes, mais a divulgação a nível federal é merecedora de credito. O comentador da revista ainda enaltece que novas entidades estão surgindo no interior do estado do Paraná, e coloca em relevo o entusiasmo verificado em Guarapuava e também em outras localidades, aonde a mocidade vem empregando a fundo no sentido de conservar aceso o ardor pela pratica dos exercícios físicos, notadamente o velho futebol. No início de sua atividade esportiva o Grêmio Oeste venceu alguns campeonatos e festivais esportivos que poderemos dizer “oficiosos”. O futebol já era popular na cidade e o Grêmio foi fundado por membros da elite econômica da época, por isso ficou conhecido como “Pó de Arroz”, pois surgiu para contrapor outra agremiação destaque no município que era o Guarapuava esporte clube. O futebol já estava enraizado em todas as classes sociais na cidade as divergências políticas debatiam fora das quatro linhas. Com a fundação da casa mater do nosso futebol a Liga, entidade que surgiu para regulamentar os conflitos entre os praticantes pregar a harmonia e “oficializar” o certame amador e o tricolor levou de balaio os títulos, sagrando-se hepta - campeão. Com essa desempenho inigualável surgiu à aposta em certame amador estadual regido pela Federação PR, no ano de 1960, foi um Torneio precursor da Taça Paraná até hoje vigente no estado. Os campeões de cada cidade se confrontavam em mata-mata até surgir o grande vencedor. O tricolor passou por dificuldades no inicio mais eliminou o Ypiranga da cidade de Palmeira, na seqüência abateu a forte agremiação do Olímpico da vizinha cidade de Irati, no sacrifício das penalidades máximas 5 x 4 , Charuto finalizou todas as cobranças  para o Grêmio e Dallegrave do adversário não teve o mesmo êxito e errou a ultima cobrança.Festa na nossa cidade tínhamos pela primeira vez um representante numa final de certame a nivel estadual.Mesmo a tristeza da derrota nos dois jogos finais perante o Real de Campo Largo não desestabilizou no representante  que foi galgando anos após anos, mais títulos na cidade até chegar ao ápice , como o primeiro representante de Guarapuava em uma competição a nivel profissional, que marcou a melhor fase desta agremiação e do nosso futebol também.
Fonte- Parana esportivo(1960)

GRÊMIO ESPORTIVO DO OESTE VICE CAMPEÃO TAÇA PARANÁ 1966

GRÊMIO OESTE TAÇA PARANÁ EM 1966



O tricolor Guarapuavano, o saudoso Grêmio esportivo do Oeste na sua trajetória futebolística, foi um orgulho para nossa cidade. Teve a honra de ser nossa primeira agremiação nos representar numa competição profissional . Mas antes disso acontecer mostrou-se um grande representante do nosso futebol amador .Recapitulando, em 1960, já  nos extinto torneio dos campeões do interior do Parana chegou na segunda colocação. Passados alguns anos foi o nosso representante na terceira edição da Taça Paraná , a cidade exalava futebol, cada esquina e bares estavam os torcedores falando bem das suas equipes e também apedrejando os adversários. Mais o Grêmio Oeste era a bola da vez a cidade se uniu para torcer para o tricolor e este retribuiu com uma grande campanha. O regulamento da FPF era do tipo mata-mata, nosso representante estreou contra a equipe do DER de Campo Mourão e perdeu na casa do adversário pelo placar de 2 x 1, mas no jogo de volta furou as redes contraria  e venceu por 3 x 0 , levando o jogo para a prorrogação e venceu por 1 x 0. O entusiasmo germinou , mobilizou-se novamente fora do seus domínios até o norte do estado enfrentou o Agroceres da cidade de Jacarezinho e sem dó, voltou com o placar favorável de 2 x1, já no jogo de volta no Bororó massacrou e com facilidade fez 5 x 2. A torcida lotava o estádio e aguçava os jogadores que retribuíam com belos espetáculos de futebol.Prosseguiu mais uma vez jogando fora de casa ,agora em Londrina opositor era o Corinthians , forte agremiação da capital do café e segurou o impeto do adversário trazendo um valioso empate para o jogo de volta 2 x 2 . Alegria geral , a comunidade em festa, lotou mais uma vez as dependência do Bororó e o tricolor emplacou 3 x 1 e com estes resultados adquiriu a vaga para a final da competição, enfrentaria o forte time da capital do Parana o Trieste que procurava o bi campeonato. O povo guarapuavano esperou este poderoso adversário com banda tocando, entre os torcedores ,autoridades e ilustríssimos cidadãos todos querendo um lugar na foto e com dois gols de Xereta e um de Motiela terminou 3 x 1 e saímos na frente em busca do titulo. A imprensa de Curitiba elogiou a equipe  do interior e seus torcedores, o próximo encontro aconteceu em Santa felicidade e não suportamos a pressão em levamos o troco pelo mesmo placar.Como o regulamento indicava uma terceira partida em campo neutro, decidiram que o jogo final seria no estadio Joaquim Américo no dia 18 de dezembro, nosso representante chegou um dia antecipado treinou no campo que seria utilizado  e hospedou-se no Hotel Climax no centro da capital. O dia da grande final amanheceu nublado e não demorou para chover, mesmo assim aconteceu o jogo a chuva prejudicou as duas agremiações mais quem se deu bem foi os jogadores triestinos  que construirão o placar de 3 x 1 a seu favor não dando chance ao elenco tricolor e sagrando-se bi campeã da competição. Para nos restou o vice campeonato que para aquele momento foi muito valorizado pelos diretores, atletas e torcedores .No ano seguinte o GEO dava seus primeiros passos no profissionalismo.






SUMULA DA FINAL:


TRIESTE 3 X 1 GRÊMIO OESTE
Gols- Osmario (2) e Polaco(1) para o trieste
        - Carlinhos (1) para o GEO
juiz - Valdemar Nader
TRIESTE- Renato, Ray, Idario, Renatão, Altair, Angelim, Luisinho, Osmario, Valdo, Mario Cachel e Polaco.
GRÊMIO OESTE- Cobertor, Helinho, Mario Pires, Nivaldo e Macalé(Titanus), Sirlei Denardi, Pedrinha, Motiela, Valdeci, Xereta e Carlinhos.

FONTE; DIÁRIO DO PARANA(1966)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

ENTRE RIOS CAMPEAO AMADOR DE 1984




  ERNANI CHERATO, COQUINHO, SAPATÃO,CHAPECÓ,HELMUTH E JANGO.
AGACHADOS- CESAR SALADA, MARINHO, PEDRO MENDES, JOEL E ELIZEU VEINHO.


Mais uma vez com o comandando de Martin Duhatschek, o verdao da Colonia Vitoria  conseguiu uma espetacular campanha e ergueu o trofeu de campeao pela terceira vez na sua historia(72/76/84), com uma campanha invejavel  manteve-se invicto  ate o final da competição, com esses resultados nao aconteceu a tradicional decisão, de forma invicta venceu os dois turnos  deixando para trás tradicionais adversários.

RESULTADOS
Primeiro Turno

Entre Rios 5 x 1 Socovel
Entre Rios 3 x 0 Guairacá
Entre Rios 1 x 1 Batel
Entre Rios 3 x 0 Madeirit
Entre Rios 2 x 2 Grêmio Oeste
Entre Rios 3 x 1 Guarapuava

Segundo turno

Entre Rios 1 x 1 Socovel
Entre Rios 2 x 1 Guairacá
Entre Rios 1 x 1 Guarapuava
Entre Rios 4 x 2 Batel
Entre Rios 4 x 2 Madeirit
Entre Rios 1 x 1 Grêmio Oeste

Resumo- 12 jogos- 07vitória, - 05 empate

RELAÇÃO DE ATLETAS  CAMPEOES- Jango, Coquinho, Sapatão, Müller, Helmuth, Gechelle, Wilfred, Joel, Marinho, Pedro Mendes, Cicero, Dirceu, Elizeu Veinho, César, Ernâni e Chapecó

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

A.A.BATEL BI CAMPEÃO AMADOR DE 1982-83



A.A. BATEL BICAMPEAO AMADOR DE GUARAPUAVA 82/83

O rubro negro Guarapuavano fundado em 1951 conseguiu só na década de 80 seu primeiro titulo do nosso futebol, inativo há vários anos foi reativado em 1977 pela família Gelinski e desde então buscando erguer a taça decampeão e aconteceu com a montagem de um grande elenco, principalmente por fazer parte deste grupo vários atletas experientes muitos oriundos de outras agremiações a equipe do Batel depois do seu retorno, conseguiu o triunfo de vencer o campeonato amador da cidade duas vezes consecutiva, no ano de 1982 venceu na colônia Vitoria o Entre Rios levando o titulo de campeão amador daquele ano, embalado e motivado começou o ano de 1983 com forte grupo, mantido a base que disputou a Taça Paraná e repetiu a dose ao passar pelo Grêmio Oeste, ganhando o primeiro jogo pelo elástico placar de 4 x 0 , ficando tranqüilo para o segundo confronto onde o empate de 1 x 1 foi suficiente para levantar o caneco de Bi campeão amador de Guarapuava fato inédito ate então ao rubro negro do Sr Alfredo Gelinski.


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

ENTRE RIOS CAMPEÃO AMADOR DE 1976






Em pé- Jango,Helmuth Ksenowitsch ,Urbano, Augusto Kruguer, Gunther ,Carlos, 
Agachados- Dirceu Boinzinho, Valtinho,Wilson Barbiere, Adilson Ferreira e Joelson.  

ENTRE RIOS CAMPEÃO AMADOR DE 1976


Com o comando de Martin Duhatschek o Entre Rios reviveu a memorável conquista de 1972, sagrando-se campeão em 1976 contra o todo poderoso Grêmio Oeste, em duas partidas dificílimas, mais com maior potencial comprovada dentro de campo, mesmo com as enormes dificuldades encontradas nos dois jogos finais, ficou demonstrado o melhor aproveitamento do esquadrão verde da Colônia Vitória com duas conquista consecutivas no resultado positivo com excelentes apresentações do seu elenco que garantiu o esperado titulo.

PRIMEIRO JOGO DA FINAL

-ENTRE RIOS 1 X 0 GREMIO OESTE


DECISÃO (SEGUNDO JOGO)

-GREMIO OESTE 0 X 2 ENTRE RIOS
Gols- Gaiola (contra) e Valtinho (gol olímpico)

GREMIO OESTE- JOÃOZINHO, CARLINHOS BIONICO, ZÉ GAIOLA, CLAILSON E CARECA, PEDRO MORAES (JOÃOZINHO II), VERSÁTIL, IRINEU CABELEIRA, CAMPINA, ELIZEU VÉINHO E MARCOS.

.ENTRE RIOS-JANGO, CARLOS, GUNTHER, AUGUSTO KRUHUER, HELMUTH(ADILSON FERREIRA), NÉZINHO,URBANO, DIRCEU BOINZINHO(LUIZ), VALTINHO, WILSON BARBIERE E JOELSON.

GUARAPUAVA E.C. TRI-CAMPEÃO AMADOR 73/74/75




  FOTO- TIME BASE DO TRI
EM PE-´CLOVIS, JORGE AJUZ, EDSON GALICIOLI, MARIO PIRES, AUGUSTO KRUGUER E MACALÉ.
AGACHADOS- JOÃO AJUZ, CAMPINA, RAFAEL MINEIRO, VALTINHO, HERCILIO E MORGADO.




GUARAPUAVA ESPORTE CLUBE TRI-CAMPEÃO AMADOR 73/74/75


 O Guarapuava esporte clube conquistou brilhantemente o Tri campeonato amador 73/74/75, a ambiciosa conquista veio através de uma vitória inquestionável contra o G.R.E. Madeirit pelo placar de 3 x 1 mostrou a competência de uma administração sendo a  diretoria encabeçada pelo Sr Alfredo Gelinski com sua experiência montou um grande elenco que resultou nesta conquista consecutiva  entrando para história como a primeira equipe do futebol amador de Guarapuava a levar o troféu três vezes consecutivos. A metade da década de 70 o alvinegro mostrou sua força foi cinco vezes campeão interrompido somente em 72 quando o Entre Rios foi mais feliz levando o caneco daquele ano. Nos dois campeonatos conquistados anteriormente encontrou maior dificuldade foi em 74 quando venceu o expresso verde da colônia pelo placar mínimo de 1 x 0 gol de Rafael Mineiro. O Guarapuava fez por merecer esta conquista, trabalho serio imperava no alvinegro com a preparação semanal onde os atletas se reuniam  no Lobo Solitário depois de  saírem dos seus serviços e iam para os treinamentos e aperfeiçoavam a parte física e tecnica , fato que nos tempos de hoje não existe mais.

  FINAL DE 74

GUARAPUAVA 01 X 00 ENTRE RIOS

GOL- RAFAEL MINEIRO

GUARAPUAVA E.C. (CAMPEÃO)- CLOVIS, MARIO PIRES, DA SILVA, GALICIOLI E MACALÉ, JOÃO AJUZ, KRUGUER, LUIS CARLOS, VALTINHO, RAFAEL MINEIRO E MORGADO.

ENTRE RIOS(VICE)- JANGO, CARLOS, LUIZ, GUNTHER E TACO, ZÉ GAIOLA,(JAIME), JURANDA E MARCIAL, BOINZINHO, BARBIERE E EDO(ERWIN).

FINAL DE 75

GUARAPUAVA E.C. 3 X 1 MADEIRIT

GOLS- Tucano (Madeirit)(1);
Nézinho (3) (GEC)


GUARAPUAVA E.C. - Clovis, Gilmar, Da Silva, Mario Pires e Omar; Galicioli,Ivan, Rafael Mineiro( Morgado),Valtinho ,Nézinho e Pedro Moraes.


MADEIRIT- Valdir, Massuqueto,Rubens, Polaco e Raposa; Duda, Celio, Cabeça(Ernani), Side, Tucano e Marcio (Pitica)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

E.C ENTRE RIOS CAMPEÃO AMADOR DE 1972

E.C. ENTRE RIOS CAMPEÃO AMADOR DE 1972 


 foto (1)- Em Pé-Jaime Abdanur, Gunther, Jango, Helmuth, Mario Titanus e Fucks.
Agachados- Dorival, Altino Nizer,Wilson Barbiere, Jura e Carlos

Com muita festa, foi assim que o torcedor alviverde de Entre Rios comemorou a conquista do primeiro titulo da sua história no amador de Guarapuava. Os comandados do saudoso Joseph Klein depois de perseguirem anos a fio e ambicionando a glória e consagração ela surgiu após derrotar a surpresa do campeonato o expresso do Zagonel, que vinha surpreendendo as equipes maiores, com a vitória ficou consolidado o nome do E.C. Entre Rios na história do futebol da cidade como campeão amador de 1972. No dias atuais os ex-atletas que fizeram parte do elenco vencedor ainda lembram com orgulho os momentos especiais que esta conquista lhes proporcionou, lembrança do grupo de atletas que era mantido a base por mais de três anos consecutivos sempre chegando as finais e morria na praia, mas com muita perseverança  prosseguiram até que deram o troco no ano de 72 foi do começo ao fim da competição só competência e ultrapassaram fortes agremiações da época e levou para Colônia Vitória o Caneco de Campeão que  almejavam a tanto tempo..


sexta-feira, 12 de abril de 2013

HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA ( )


HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA
Esta narrativa se passa com duas figuras ilustre de nossa cidade, talvez poucos Guarapuavanos saibam desta história, mas Arion Kuster, jura de pé junto que é verdadeira. Bem, tempos do Positivismo em nossa cidade, Ditadura em vigor. Discussões em politica era normal, cada esquina todos tinham suas opinião, mais era melhor se calar se não quisesse levar um susto dos militares. Conta o amigo que quando nasceu o primeiro neto de Srº Nivaldo kruguer então prefeito de nossa cidade, ele não estava presente mais Dona Lenita , esposa, cuidava do neto e respondia que Nivaldo logo chegava de compromisso politico.Astuto o pediatra amigo da família mais opositor politico Dr Ubirajara Azevedo capitão do exercito brasileiro antes de sair colocou um esparadrapo na testa da criança que descansava de olhos fechados , com os dizeres"Este já é ARENA". Apos a saída do capitão , eis que surge nosso governante municipal que apressado queria vivenciar os primeiros dias de seu primeiro neto, e leu o que tava escrito e num gesto de pura criatividade arrancou o esparadrapo presente na testinha do herdeiro e coloca outro em retruco bem humorado os dizeres:. " Agora que abri os olhos sou "MDB",.foi a briga politica mais simpática no perigoso tempo da nefasta ditadura no Brasil.

sexta-feira, 22 de março de 2013

AGAPITO, DO CÉU AO INFERNO...



O paraguaio que veio do inferno (NikonTembil)

Tinha pinta de craque. Mas não era só pinta, não. Ele era um craque de verdade, entre os muitos daquele saudoso e esplendoroso futebol amador de Guarapuava. Já na década de 60 o alvinegro Guarapuava inovou trazendo de Antonina, Agostín Martinez que trouxe a tiracolo o grande craque Agapito. Mas era bom demais para ficar aqui. A noticia correu o estado afora e ele seguiu de trem pára assinar com o Ferroviário na capital, mas não sei como foi que acabou assinando com a Coxa que na época almejava o tri campeonato. No Coritiba ele brilhou e já com as faixas prontas o alviverde festejou o ambicionado titulo ao derrotar o Operário de Ponta Grossa, mas, foi ai que estourou a grande bomba em torno da estrela paraguaia. Afinal quem era o grande craque?O que se sabia é que ele foi descoberto pelo Martinez, segundo este, era um rapaz, nascido em Foz do Iguaçu e que morou algum tempo no Paraguai, e que nas horas vagas praticava futebol sem vinculo clubistico algum. Porem a realidade era outra. Agapito era um excelente profissional de um famoso clube paraguaio, inclusive chegou a ser incluído na lista para ser convocado para o selecionado paraguaio. Todavia orientado por Martinez, numa astúcia, mediante duas testemunhas, ele foi registrado como nascido no Brasil  em Foz e de posse desse documento inscreveram como jogador primário na liga de Guarapuava pelo clube de mesmo nome da cidade. Já Ico que era jogador do Grêmio Oeste e Operariano roxo, sabia de tudo. Contou tudo ao presidente do time de Ponta Grossa, que protestou junto a CBD e julgado retiraram o titulo do alviverde Coxa, que deu adeus ao Tri campeonato. Mais o engraçado foi que o Coritiba não perdeu os pontos por Agapito ter sido profissional no Paraguai. Perdeu em virtude de já estarem fechadas as inscrições para atletas profissionais. O caso é que o jogador foi inscrito no Coritiba como atleta amador, e antes havia participado no campeonato amador de Guarapuava, contrariando as leis da época que proibia um atleta, na mesma temporada atuar por duas agremiações diferentes. Passado anos caiu no ostracismo o nobre atacante. Até que 1970, o Grêmio Oeste era destaque do Campeonato profissional e enfrentava o poderoso Coritiba no Estádio Bororo, jogo assistido por milhares de pessoas entre ela o torcedor do Coxa chamado Galhardo que residiu em nossa cidade  e lembrava do fato que ocorreu no passado , a perda do tri, o coxa arrebentou no primeiro tempo e meteu 2 x 0. Já no segundo tempo modificado o tricolor  em duas jogadas , Walter fez um com passe de um habilidoso atleta, e quase no apagar das luzes sai o gol de empate terminando o jogo . Quem foi o autor do gol que tirou a chance do Coritiba de conquistar o titulo, gesticulava Galhardo, visualizando o rosto do artilheiro maldito, parecia conhecido. Ate que lhe foi revelado à identidade do mesmo, Agapito, Galhardo arregalou os olhos e começou a gritar;

-Veio do inferno, veio do inferno...

Para Galhardo Agapito teria vindo do inferno e não do Paraguai. Reconhecendo o rosto do atacante que tinha marcado negativa a história do seu time querido, porem era o Sururu, entre a policia vinda da capital e a torcida local, esse sim era o inferno, numa briga generalizada.

 


Agapito, do céu ao ...

Agapito Sánchez nasceu em Isla Pucú, Cordillera, zona rural do Paraguai, no dia 3 de agosto de 1937. Casado com Maria Virginia Gómez é pai de Nancy, Ninfa, Angela Alicia, Mirian, Marta, Angel Agapito e Sindulfo Fariña.

Agapito iniciou sua carreira como jogador de futebol no Club Acosta Ñu de Eusebio Ayala (1952). Dali foi para o futebol brasileiro, jogando em Guarapuava (1955 até 1957); chegou à Seleção Cordillerana, Sol de América, onde atuou de 1957 até 1959. "Com Arsenio Erico, como treinador, onde foi Vice-Campeões”
Atacante nato, de rara habilidade e muito faro de gol, tornou-se um goleador admirado pelos torcedores. Em sua história no futebol Agapito jogou em diversos países sul-americanos: Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia.
O atacante jogou no Coritiba em 1961, onde atingiu o ápice de sua carreira futebolística. Do Coritiba, Agapito foi para o Sol de América, onde jogou em 1962 e 1964; Huracán da Argentina (1963); Libertad do Paraguai (1965), Audax Italiano do Chile (1966), América de Cali da Colômbia (1967), Nacional de Asunción (1968), Antofagasta do Chile (1969), Grêmio de Guarapuava de Brasil, onde ficou de 1970 até 1973.

No Coritiba, Agapito chegou a ser Tri-Campeão paranaense. foi seu melhor momento no futebol foi quando jogou pelo Coritiba em 1961. Lembrando de sua passagem pelo Alto da Glória, Agapito Sánchez fez o gol mais bonito foi um que marcou de bicicleta em um AtleTiba, ocorrido em 1961. O jogo foi realizado na Baixada e terminou com vitória Coxa por 2x1, com Agapito marcando os dois gols do Coritiba.

. Atualmente trabalha numa escolinha de futebol em Porto Franco, no Paraguai.