Quem sou eu

Minha foto
Publicarei noticias esportivas de guarapuava e região , e algumas fotos da história do futebol em guarapuava .

sexta-feira, 22 de março de 2013

AGAPITO, DO CÉU AO INFERNO...



O paraguaio que veio do inferno (NikonTembil)

Tinha pinta de craque. Mas não era só pinta, não. Ele era um craque de verdade, entre os muitos daquele saudoso e esplendoroso futebol amador de Guarapuava. Já na década de 60 o alvinegro Guarapuava inovou trazendo de Antonina, Agostín Martinez que trouxe a tiracolo o grande craque Agapito. Mas era bom demais para ficar aqui. A noticia correu o estado afora e ele seguiu de trem pára assinar com o Ferroviário na capital, mas não sei como foi que acabou assinando com a Coxa que na época almejava o tri campeonato. No Coritiba ele brilhou e já com as faixas prontas o alviverde festejou o ambicionado titulo ao derrotar o Operário de Ponta Grossa, mas, foi ai que estourou a grande bomba em torno da estrela paraguaia. Afinal quem era o grande craque?O que se sabia é que ele foi descoberto pelo Martinez, segundo este, era um rapaz, nascido em Foz do Iguaçu e que morou algum tempo no Paraguai, e que nas horas vagas praticava futebol sem vinculo clubistico algum. Porem a realidade era outra. Agapito era um excelente profissional de um famoso clube paraguaio, inclusive chegou a ser incluído na lista para ser convocado para o selecionado paraguaio. Todavia orientado por Martinez, numa astúcia, mediante duas testemunhas, ele foi registrado como nascido no Brasil  em Foz e de posse desse documento inscreveram como jogador primário na liga de Guarapuava pelo clube de mesmo nome da cidade. Já Ico que era jogador do Grêmio Oeste e Operariano roxo, sabia de tudo. Contou tudo ao presidente do time de Ponta Grossa, que protestou junto a CBD e julgado retiraram o titulo do alviverde Coxa, que deu adeus ao Tri campeonato. Mais o engraçado foi que o Coritiba não perdeu os pontos por Agapito ter sido profissional no Paraguai. Perdeu em virtude de já estarem fechadas as inscrições para atletas profissionais. O caso é que o jogador foi inscrito no Coritiba como atleta amador, e antes havia participado no campeonato amador de Guarapuava, contrariando as leis da época que proibia um atleta, na mesma temporada atuar por duas agremiações diferentes. Passado anos caiu no ostracismo o nobre atacante. Até que 1970, o Grêmio Oeste era destaque do Campeonato profissional e enfrentava o poderoso Coritiba no Estádio Bororo, jogo assistido por milhares de pessoas entre ela o torcedor do Coxa chamado Galhardo que residiu em nossa cidade  e lembrava do fato que ocorreu no passado , a perda do tri, o coxa arrebentou no primeiro tempo e meteu 2 x 0. Já no segundo tempo modificado o tricolor  em duas jogadas , Walter fez um com passe de um habilidoso atleta, e quase no apagar das luzes sai o gol de empate terminando o jogo . Quem foi o autor do gol que tirou a chance do Coritiba de conquistar o titulo, gesticulava Galhardo, visualizando o rosto do artilheiro maldito, parecia conhecido. Ate que lhe foi revelado à identidade do mesmo, Agapito, Galhardo arregalou os olhos e começou a gritar;

-Veio do inferno, veio do inferno...

Para Galhardo Agapito teria vindo do inferno e não do Paraguai. Reconhecendo o rosto do atacante que tinha marcado negativa a história do seu time querido, porem era o Sururu, entre a policia vinda da capital e a torcida local, esse sim era o inferno, numa briga generalizada.

 


Agapito, do céu ao ...

Agapito Sánchez nasceu em Isla Pucú, Cordillera, zona rural do Paraguai, no dia 3 de agosto de 1937. Casado com Maria Virginia Gómez é pai de Nancy, Ninfa, Angela Alicia, Mirian, Marta, Angel Agapito e Sindulfo Fariña.

Agapito iniciou sua carreira como jogador de futebol no Club Acosta Ñu de Eusebio Ayala (1952). Dali foi para o futebol brasileiro, jogando em Guarapuava (1955 até 1957); chegou à Seleção Cordillerana, Sol de América, onde atuou de 1957 até 1959. "Com Arsenio Erico, como treinador, onde foi Vice-Campeões”
Atacante nato, de rara habilidade e muito faro de gol, tornou-se um goleador admirado pelos torcedores. Em sua história no futebol Agapito jogou em diversos países sul-americanos: Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia.
O atacante jogou no Coritiba em 1961, onde atingiu o ápice de sua carreira futebolística. Do Coritiba, Agapito foi para o Sol de América, onde jogou em 1962 e 1964; Huracán da Argentina (1963); Libertad do Paraguai (1965), Audax Italiano do Chile (1966), América de Cali da Colômbia (1967), Nacional de Asunción (1968), Antofagasta do Chile (1969), Grêmio de Guarapuava de Brasil, onde ficou de 1970 até 1973.

No Coritiba, Agapito chegou a ser Tri-Campeão paranaense. foi seu melhor momento no futebol foi quando jogou pelo Coritiba em 1961. Lembrando de sua passagem pelo Alto da Glória, Agapito Sánchez fez o gol mais bonito foi um que marcou de bicicleta em um AtleTiba, ocorrido em 1961. O jogo foi realizado na Baixada e terminou com vitória Coxa por 2x1, com Agapito marcando os dois gols do Coritiba.

. Atualmente trabalha numa escolinha de futebol em Porto Franco, no Paraguai.

3 comentários:

Célio Pegoraro disse...

Lembro do Agapito,lembro deste jogo contra o Coritiba (2x2), lembro do quebra quebra após o final do jogo, contra os policiais que vieram de Curitiba para dar segurança ao time do Coxa. Eu estava no estádio e um amigo que estava comigo, levou uma pedrada no nariz e o sangue escorreu por toda a frente de sua camisa. Lembro como se fosse ontem...

Paulo Ricardo Ianesko Junior disse...

http://archive.coritiba.com.br/arq/sanfonas/lt/content/1961.html

nivaldo borges disse...

hospedagem de sites