Quem sou eu

Minha foto
Publicarei noticias esportivas de guarapuava e região , e algumas fotos da história do futebol em guarapuava .

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA( PREFEITO ULISSES UCHOA BITTENCOURT) EM 1939...

DR -ULISSES UCHOA BITTENCOURT PREFEITO DE GUARAPUAVA EM 1939)




DEPOIS DAS OBRAS DE RESTAURAÇÃO NA PRAÇA DA IGREJA MATRIZ EM 39
HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA



Quando iniciei minhas matérias no Blog, prioridade fazer rever e relembrar aos leitores a histórias do futebol de Guarapuava e região, mas fui me encontrando com materiais históricos e fotos marcantes do nosso passado, que com certeza o jovem de 20 anos nunca visualizou ou só escutou nos relatos dos familiares mais idosos. Agora contarei fatos que aconteceram no passado do município que nem eu sabia, e pesquisando encontrei estes relatos. Começarei com a nomeação em decreto Intervencional N- 8308 de 21/03/39 do jovem Ulisses Uchoa Bittencourt com apenas 23 anos exercendo o cargo de prefeito do município de Guarapuava durante o mandato de Getulio Vargas e por indicação do interventor do estado, Manoel Ribas. Nascido na cidade de Manaus AM em 1916 sendo muito novo não teve medo do cargo oferecido, mesmo graduado pela Escola Nacional de Veterinária abandonou a profissão e deslocou-se para o Paraná se tornando administrador publico, assumindo esta nova função começou os trabalhos, como já tinha na mente a ação notável que faria no município chamado na época a cidade princesa se tornou um restaurador notável e ousado de grande senso patriótico, um homem de ação que em dez meses de mandato administrativo fez a própria imprensa local observar que Guarapuava merecia o titulo de Perola do Oeste. Com a força de seu entusiasmo de jovem construiu pontes, praticou urbanismo, fez jardins, a praça da matriz foi construída no seu mandato remodelou ruas e calçada criou o posto de monta o primeiro na cidade, pois sabedor que a região era pastoril este posto melhorou sensivelmente o rebanho eqüino do município e muitas outras ações de progresso da cidade.
Terminado sua gestão administrativa deslocou-se agora para a região norte do pais mais precisamente no estado do Amazonas onde se tornou um grande historiador, sendo membro da academia Amazonense de Letras e do instituto geográfico e Histórico do Amazonas, escreveu vários livros entre eles, Raízes(85), Povoamento da Bacia Amazônica(88), e Potiguá(93). Também foi articulista nos anos 80 do jornal “A Critica” de Manaus. Faleceu na capital da Amazonas em 1993.

No seu pouco tempo em Guarapuava aconteceu um fato pitoresco que quase ganhou proporções maiores. Conta à história que o Prefeito Ulisses Bittencourt no exercício de seu mandato foi ferido, de raspão, por um projétil de fuzil, que deixou pequena cicatriz num dos seus braços, disparado por um guarda da policia local, ele estava no gabinete no segundo andar da Prefeitura da época na rua xv de novembro no centro da cidade tendo tiro disparado do primeiro andar pelo soldado que alegou na seqüência que teria sido um disparo acidental no manuseio da arma de fogo quando o fuzil era armado, ou seja, poderia ter havido um acidente e não um atentado contra o chefe do Executivo Municipal de Guarapuava de acordo com o Desembarcador Lauro Fabrício que na época era juiz servindo no município considerou que o desastrado e não criminoso soldado fosse solto dias após esse incidente levemente sangrento, todavia potencial e quase mortífero por centímetros em suma não conseguiu ver no referido caso algum envolvimento do soldado com bandoleiros ou com a oposição política local.

Também está na história o dramático incidente de uma fuga de presos ocorrida em 1939 na cidade de Guarapuava, em meios aos acontecimentos sangrentos que culminaram com a morte do chefe do bando, Francisco de Assis, e de alguns de seus seguidores, há aspectos que deve ser recordado. Tomadas as devidas providencia mais urgentes o Juiz despertou o chefe do telegrafo local, fez improvisar um avião para avisar imediatamente o povo de Pitanga, principalmente o comerciante Joanim Grande. A força veio imediatamente de Curitiba comandada pelo capitão B. Evangelista tendo como auxiliar um bravo tenente e 20 soldados que rumaram acelerado para Pitanga alcançando os fugitivos na estrada e travando combate com eles. Um avião da Base militar de Curitiba voou para a cidade levando mensagem de aviso para a população e para joanim Grande o comerciante, pois não havia meio de comunicação telefônica para Pitanga, o excelente aviador alcançou rapidamente o destino, mas preocupado a chamar atenção dos habitantes para a mensagem que levara, fez diversas evoluções rasantes sobre a vila e ao lançar a mesma , bateu com a asa do avião num galho alto de pinheiro e caiu no solo, ferindo-se. Acompanhando os acontecimentos o juiz mandou uma ambulância para conduzir o aviador ferido ao hospital de Guarapuava donde que em seguida foi removido para o Hospital Militar de Curitiba. Esse Bravo aviador era o Capitão Délio Jardim de Mattos que muitos anos depois se tornou o Excelente Ministro da Aeronáutica no Governo de Geisel e Figueiredo.
Essa é uma história que achei interessante que com certeza poucos já escutaram tal relato.




PREDIO DA ANTIGA PREFEITURA NA RUA XV DE NOVEMBRO DECADA DE 40



Um comentário:

Martinha disse...

Que grata surpresa encontrar registros históricos da vida de meu avô Ulysses Bittencourt, quando foi Prefeito em Guarapuava. Ele quando me relatava com entusiasmo e muita saudade a experiência impar que viveu no Paraná me despertava intensa curiosidade. Após seu falecimento lá estive e como foi no período da semana santa encontrei os prédios públicos fechados mas soube que na semana anterior havia acontecido uma homenagem aos antigos prefeitos e meu avô fora lembrado. Fiquei emocionadissima! Só observei que consta o nascimento do vovô em 04 de abril de 1916 no Rio de Janeiro e não posso deixar de lembrar que meu avô nasceu em MANAUS, terra de seus ancestrais.