Quem sou eu

Minha foto
Publicarei noticias esportivas de guarapuava e região , e algumas fotos da história do futebol em guarapuava .

terça-feira, 3 de março de 2015

FUTEBOL AMADOR DO INTERIOR DO PARANÁ NA U.T.I.

FUTEBOL AMADOR DO INTERIOR PR NA U.T.I. Quem sempre acompanhou a trajetória do futebol amador, deve estar insatisfeito com o retrocesso que vem acontecendo, principalmente ao interior do estado. Temos presenciado o descredito que a entidade mater do Paraná, simplesmente virou as costas aos clubes do interior. Este esporte surgiu para movimentar o intercambio entre cidades. Outrora as viagens eram difíceis pela má qualidade das estradas, muitas vezes deslocamento era feito por trem. Hoje vemos caminhos perfeitos ao acesso que pretender percorrer. Esta administração que findará o mandato (espero) em poucos dias, fez o favor de guilhotinar o futebol amador do interior, eliminando dezenas de Ligas em caráter ditatorial sem ao menos tentar remediar com algum tipo de ajuda. Se no passado as competições criavam aspectos de grande clássicos pelas dezenas de inscritos, cidades se gladiavam, no bom sentido, defendendo com fervor os seu distintivo, os campeões das ligas interioranas eram o orgulho da comunidade representada. Hoje a cansada Taça Paraná de futebol amador tem nove representantes, somente uma equipe do interior esta se confronta com equipes da capital e região metropolitana. Não é erro algum se frisarmos que as ligas municipais e regionais encontram-se isoladas quase que completamente. O distanciamento da F.P.F. com seus filiados foram condicionais para enfraquecimento do interior. Perante a proximidade de uma eleição, esperamos que o vencedor (a oposição) nos mostre um programa que faça ressurgir a esperança, reerguer com vigor e amparo mais vivo as suas filiadas. Assim fazendo para melhor engrandecimento do próprio futebol paranaense, que vive e deve viver com a comunhão de todas as agremiações, quer da capital, quer do interior. Modernizar com um Departamento de futebol amador com sede em alguma cidade do interior do estado. Inovar com a formação de campeonato do interior. O Estado tem 399 municípios, muito com poucos habitantes, mais com bons estádios de futebol, mesmo aqueles que não tenham arquibancada, mais oferecem boa estrutura de vestiários e gramado querem fazer parte, mais as leis não permitem. Cada caso é um caso, os dirigentes não percorrem o estado para avaliar, ficando sentado atrás da mesa, é cômodo. Todos têm direito ao esporte, se precisar adequar uma lei estadual que assim seja. Um departamento amador fora da capital parece-me fundamental para uma nova forma de gerir o futebol do interior.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

MINHA NAÇÃO...

O ano DE 2014  ficará marcado na mente de milhões de pessoas nesta bola cósmica que se chama Terra. A Copa do Mundo no Brasil serviu para mostrar a todos os continentes como que é a vida e o cotidiano do nosso povo.  Este abençoado evento vai mudar o paradigma do olhar do ‘‘ O outro”, não o estereotipo formulado nos séculos anteriores, onde o diferente , estava impregnado nas frases de navegantes em suas anotações, que muitas se tornaram fatos como citou Jean de Lery  no seu livro Viagem a terra do Brasil(1578) referenciando os índios Tupinambás assim ele descreveu
[... o homem nu e bem proporcionado...]
O viajante que veio nos prestigiar com sua presença mesmo efêmera, esta brevidade será marcada por saudades. Momentos como deliciar a mulher brasileira na praia de Copacabana e se lambuzar pela farta culinária das Baianas, o churrasco abundante dos Gaúchos, se deleitarem na arte e cultura nativista este mosaico de prazeres que este Brasil oferece esta transculturação esta mistura não será fácil o esquecimento. As dissimilitudesa qual ele vive em seu país, sua cidade, estas diferençasvividas em loco, ver a afetividade do povo que não tem vergonha de demostrar afeto em publico, os casais se beijam sem mostrar constrangimento, este povo que sempre tem um sorriso essa magnitude consegue reunir varias nações, esta heterogeneidade que é instigante, para mostrar pessoas alegres que aceita todos de braços abertos. Só um evento como essetem seu momento próprio para sentir como se faz essa interação, como cada visitante vai relatar no seu diário, está ambiguidade, cada um contando a sua história, realmente fascina,...Um gênero Hibrido..., não encontrará um relato igual ao outro, na visão proposta por Jam Born a de que o relato de viagem é um gênero hibrido, compreender as diferenças marcantes entre um relato a outro. Mais não é só a comida,frutas, praia e sol, as maravilhas das belezas naturais como montanhas, rios, vegetação múltiplas...É tudo diferente por isso ao analisar tais imagens é difícil de fazê-lo sem o conceito e a perspicácia do ”olhar “( Jacques Lacan(1901-1981).
[... É interessante refletir em termos de olhar ocidental... o olhar do turista ou o olhar masculino. O olhar frequentemente expressa atitude sobre as quais os espectadores pode não estar conscientes, sejam eles de medo, ódios ou desejos projetados no outro...] ( Burke , Peter testemunho ocular, 2004).
O Brasil oferece paisagens inúmeras que mais parecem um acervo de quadros dos maiores celebres pintores da humanidade.
[... paisagem é uma realidade concreta e compartilhada tridimensionalmente...]... (Jackson ,Johon B. Yale, Universiad Press, 1984 p.05)
[... não é a mão que pinta, mas o olho que seleciona, enquadra foca e edita]... (Andrews, Malcoln, LANDSCAPE END WESTERN ant, 1999 p.01)
O Brasil‘‘ Belo “ , esta será a dinâmica dos visitantes quando contarem suas histórias pelo mundo, de um povo saudável, felizes, religioso nas suas convicções, simples demais pelo afortunado poder de riqueza naturais que transbordam nos recantos de seu enorme território.
[...Marco Polo “ sem pedras , o arco não existe “...] (Calvino Ítalo, as cidades maravilhosas 1990 p. 09).

Definindo a nação verde e amarela, o País é uma ponte sendo seu lindo arco, mais quem a sustenta é as pedras que são o seu povo. Os brasileiros são muito vivos e cheio de alegria, o coração e a alma deste país maravilhoso são os brasileiros. A forma e a amabilidade de receber pessoas e a alegria e a simplicidade do povo é desnuda de maldade e de grande proporção de carinho que é o legado que o visitante levará, para mudar a história, pois somos alegres e felizes pelo fato de estarmos simplesmente vivos. E o futebol... Sei Lá.

CONTOS DE GUARAPUAVA...

CONTOS POLÍTICOS DE GUARAPUAVA Tempos que não voltam mais, anos em que os grande comícios movimentavam multidões. No palanque oficial candidata a vereadora no entusiasmo enaltece com a voz vibrante o seu partido - Votem no meu partido, o meu PARTIDO é o melhor da cidade. Aclamação geral do eleitor masculino, que vibravam com as palavras que soavam da boca da candidata e gritavam numa só voz: - MOSTRA...MOSTRA.... Nas urnas foi eleita.Será que no imaginário masculino visualizaram outro tipo de partido...O rachado.Continuando a resenha, apos assumir o mandato nem tudo era maravilha para nossa nova edil, sua caminhada politica estava passando por um inferno astral , divergência e cobranças estavam sendo feitas contra a sua pessoa , até que na sessão da camara resolveu tomar satisfação, subiu no plenário, pegou o microfone com tanta forca que o aparelho sonoro quase era esmagado nas suas mãos e disparou no discurso: _ Vocês só metem o pau em mim por trás, quero ver se vocês são macho de meter também o pau na minha frente. As vezes as palavras mal colocadas recebem dupla finalidade ou interpretações. Para quem serviu a carapuça não sabemos, mais será que pedido feito foi pedido aceito.

CONTOS GUARAPUAVANOS...

CONTOS GUARAPUAVANOS... Foi numa sexta -feira, céu de brigadeiro , lua cheia , brisa quente de uma noite de verão, um guarapuavano trabalhador aproveita que terá folga no sábado e toma sua gelada e o gole de aguardente num boteco próximo a cemitério municipal. Já satisfeito e meio cambaleando resolve ir para casa , quando sobe no seu meio de transporte uma bicicleta Monark, percebe que o pneu estava vazio, encosta a dita bike no muro da casa dos mortos e pega a bomba de encher, quando escuta uma voz: - Precisa de ajuda amigo. Assustou -se de imediato,mas reconheceu o rosto do falante, e retorna a resposta. - Não obrigado , só encher , pois esta vazando pelo bico, e você quanto tempo que não te vejo. O homem encostado no alto com os braços dentro do muro do cemitério responde cordialmente. - É que não sou de muito sair, mais já faz 10 anos que estou aqui. O bicicleteiro branqueou , soltou a bomba de encher e saiu numa disparada sem rumo, gritando, sem olhar para trás. O amigo dentro do cemitério sem entender voltou a trabalho, pois era sua função, guardião da necrópole municipal.

HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA...

SIMILITUDES PASSADO E PRESENTE... No inicio do seculo XIX seguia para o Brasil o Padre Ângelo Féo, experiente nas lidas européia , chegou no Mundo Novo teve uma passagem rápida em Antonina , mais a brevidade foi os desafetos que o encurralaram em cobranças de dividas adquiridas na construção de um prédio de sua nova casa, complacente o Sr Bispo local tira-o de vista dos credores e manda-o para Guarapuava. Com ele segue a mania de erguer prédios e começa na nova cidade a peregrinação em buscas das moedas necessárias. O povo guarapuavano enfim já sabe do quanto é capaz este cura, e não estão dispostos a deixar-se burlar por um ministro da igreja romana. É sabido que o evento da Republica o clero não era mais sustentado pelo Reis Monárquicos. Corre o boato que o Padre é tratante como Satanás, se este existisse. Recebe em boa moeda nos batizados, casamentos, missas, novenas etc; e sabe reputar bem os artigos do seu ramo. Notabilizou-se como padre mascate, ficou a imagem de um vigário de tino industrioso , de comerciante ladino que percorria os distritos do município, trocando relíquias,missas,novenas, água e palma bentas por marrecos, galinhas, porcos e vitelas, recambiando depois com outros fieis o produto da fé e esforço religioso por dinheiro seguindo o mesmo sistema adaptado a qualquer lugarejo, pregando o calote em quase todo comerciante da cidade.Fez inúmeros compromissos financeiros no comercio local, e não cumpriu nenhum pagamento. Descoberta as falcatruas foi delatado ao Bispo que via nele um hábil contador. Aconteceu uma abaixo assinado formulado principalmente pelos prejudicados, tendo o dito padre se retratado da forma tal que chegou a dizer que era indigno da sociedade que o acolheu mais que o seus erros eram conhecido, mas que não havia homem que não tivesse defeito. Com tal lábia, o Bispo o recompensou com uma transferência . No dia da sua despedida acumulou grande números de pessoas , muitos vieram de longe para ver a garantia que o embarcado se retirasse com sucesso. Esta história foi uma compilamento de alguns periódicos do jornal anti clerical ELECTRA em 1902 de Curitiba, enérgica postura Voltariana com editorial apelativo, que era preciso arrancar a venda dos olhos do povo que vive iludido pelo clero( C. Koseritz). Não é meu dever crucificar o vigário Féo, e sim mostrando a similitude com o dia atual em pleno seculo XXI na nossa querida Guarapuava corre a noticia de irregularidades nas arrecadações e pagamentos na Mitra Diocesana por um Padre de confiança do clero. Se no passado o Padre Mascate Féo foi beneficiado e agraciado com uma simples transferência, no presente isto acontecerá de fato. Mesmo comprovado o esclarecido o abuso da bolsa alheia, o meu e de muitos o sentimento cristão será afetado, apunhalado, é um desprazer fétido de engolir. Mais como bons cristão que somos , seremos otimista pois nos ensinaram no catecismo que ...” O BEM sobrepõem ao MAL”. E honrada seja Nossa Senhora do Belém.

sábado, 24 de janeiro de 2015

HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA...

UMA HISTORIA ALVINEGRA
Na saudosa década de 1980 vários episódios de pessoas vinculadas ao G.E.C. e muitas historias interessante aconteceram, umas delas contarei aqui.A equipe profissional do Guarapuava Esporte Clube viajou até Curitiba para enfrentar o poderoso Coxa do alto da Gloria, jogo este valido pela Loteria Esportiva . A motivação dos atletas e diretores era enorme pois o nome da cidade de Guarapuava estava vinculado na mídia de todo o Brasil. A viagem foi realizada um dia anterior com ônibus leito, tudo no “planejado” ou como dizem por ai “ tudo nos conformes “. Ficamos instalados num bom hotel no centro da capital e na manhã de sábado, no dia do jogo os noticiários já destacavam e apontavam a vitória fácil do verdão coxa branca contra o alvinegro guarapuavano, esse comentário deixou nossos atletas revoltados pela falta de respeito da imprensa da capital, que insinuava “Quem é o G.E.C. na ordem do dia” exclamavam para os torcedores do Coxa. Mas a historia estava para acontecer, almoçamos, deixamos o hotel e se deslocamos para o estádio Couto Pereira que a maioria dos nossos jogadores nunca tinha pisado no gramado. Nossa Comissão Técnica era formada pelo Técnico João Guimarães (Joãozinho) ex-goleiro do Grêmio Oeste nos anos 70 pelos preparadores físicos Clarel e Luis Carlos Porciúncula, mais os irmãos e Diretores Abrão e Élcio Melhem alem do medico o saudoso Dr. Elói Pimentel. Chegamos ao vestiário e a tensão foi aumentando ouvíamos o barulho da torcida nas arquibancadas nos jogadores só nos olhávamos e víamos na face de cada um o nervosismo, principalmente os mais jovens. Mas a coisa mudou quando subimos os degraus para chegar ao gramado entramos o mais veloz possível e começamos a nos movimentar com bastante intensidade para nos aquecer, pois era um dia nublado, chuvoso e frio. Foi ali que senti que o jogo entraria para a historia , foi uma partida sublime de todos os atletas , jogamos os noventa minutos sem medo do adversário que tinha como estrela o goleiro Jairo, o zagueiro uruguaio Taborda e o atacante Lance. No apito final a vitória estava no nosso lado 1 x 0 com gol de Joãozinho . O teste 506 da Loteria esportiva no jogo 4 deu coluna 2 como saiu no fantástico de domingo zeeeeebraaaaaa. Os Diretores invadiram o gramado todo entusiasmo era válido, e na empolgação Abrão Melhem discutiu com os policiais que faziam a segurança do estádio e esses saíram na caça do nosso Diretor que saiu em disparada mais quando sentiu que não conseguiria escapar se jogou no chão completamente desfalecido, foi quando chegou para socorrer o médico e amigo Dr. Elói que exclamou que o companheiro sofria do coração e que estava tendo um enfarte, prontamente fez os primeiros socorros com massagem cardíaca como não recuperava os movimentos a preocupação e a culpa passou agora aos policiais com medo de um final trágico, nervosos os policiais exigiram que o Dr. Eloi fizesse respiração boca a boca, mas este sabedor da astúcia do seu amigo se negou foi quando um policial se prontificou de fazer tal ato. Foi ai que aconteceu digamos um milagre repentino Abrão abriu os olhos e disse as primeiras palavra “ onde estou ‘ , a calmaria foi geral, educadamente os policias se retiram do ambiente aliviados por nada de fatal ter ocorrido e daí começou a festa e as risadas pelo fato ocorrido. Chegamos em Guarapuava com buzinaço no trevo e grande carnaval com fogos de artifícios , tudo isso para saudar os heróis guarapuavano naquele dia histórico. Essa foi uma historia alvinegra. “eu vi e vivi

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

HISTÓRIAS DE GUARAPUAVA


O MONGE E O CACIQUE .
A história contem por certo uma parte tão considerável de criações da fantasia que não talvez exagero dizer-se ser ela mais obra de imaginação que de memória. As lendas ocupam amplo espaço, não raro preponderante, sobre as narrativas que correspondem a realidade.Nada há , portanto, de surpreender que entre nós lendas surgissem e se consolidassem,como parte integrante das ideias que formamos sobre o nosso passado e mesmo sobre nossa existência atual. Foi o monge João Maria que vagou pela terras paranaense, catarinense e gauchas, foi umas dessas grandes figuras que estampam nossa imaginação, andarilho que muitas vezes esteve em nossa cidade onde deixou na memoria do povo ser um agente de DEUS. Na sua ultima passagem (1898) alem de receitar curas também profetizou, predisse uma grande praga de gafanhoto e assim aconteceu, se tornando venerado pelos sertanejos que assustados e impressionados pelo sobrenatural da calamidade concretizada e ainda amansava as feras e índios na mata , como não cobrava nada pelas curas que os antes crédulos sertanejos presenciaram, o autenticaram como santidade. Esta figura agora santificada pelo povo continuou as premonições, exclamando que um grande cataclismo, fará desaparecer a cidade de Guarapuava, aparecendo no lugar que está situada um grande lago. Ainda não realizou-se tal fato, mesmo com esta frase, que amedrontou os seus seguidores, estes se mantiveram fieis até os dias de hoje onde peregrinam em busca de cura numa gruta no vale do Jordão onde supõem-se o lugar onde era sua morada nas visitas a comunidade. O monge foi fruto do seu tempo, intrínseco no momento histórico pela estrutura social que se formava. Foi um ser representativo para pessoas simples daquele momento vivido. Outra figura lendária ficou conhecida como cacique Guairacá, foi seu nome advogado pelo grande Romário Martins que procurou impor este nome como o grande defensor da sua raca e terra, que expulsou os castelhanos que queriam conquistar as terras do Paranapanema, Iguaçu e Tibagi.Estes tiveram que sustentar longas batalhas contra esse magnifico cacique que Martins o igualava a Ataualpa do Peru. Deslumbrou uma campanha nacionalista para referenciar este nome, personificar a figura do heroico cacique , generosa ideia de civismo e brasilidade. A intenção primeira era edificar um monumento na então capital brasileira,Guanabara, no Rio de Janeiro. Este movimento de gratidão nacional no sentido de ereção de um monumento que perpetuasse a personalidade do índio brasileiro, foi recusada pela Assembleia no anos de 1950 e foi concretizada no terceiro planalto paranaense , em nossa cidade , depois de uma longa luta do valoroso , figura importante da politica estadual ,Sr Antonio Lustosa de Oliveira, que em 1978, concretizou o sonho Romarista ou Romariano de erguer este monumento ao índio que cumpriu uma grande missão na história nacional, legou ao Brasil a frase : “Esta terra tem dono” . Estas duas figuras, lendas ou não , não foram maléficas influências e por vezes são expressões felizes da realidade histórica e atual, que exprimem melhor que a narrativa verídica dos acontecimentos e a fisionomia dos homens que nele desempenham o papel de relevo. Há lendas que convém manter intacta como uma realidade imponderável outras, muitas ,são prejudiciais e por vezes perigosas para o interesse da sociedade.